Radicais Livres – Os radicais livres são átomos ou moléculas instáveis (que não possuem sua última camada de elétrons completa). Esses átomos ou moléculas atacam outras moléculas para “roubar” delas os elétrons faltantes. Ocorre então uma reação em cadeia, pois quando as moléculas são atacadas elas se tornam radicais livres e vão procurar estabilidade pegando elétrons de outras moléculas. Se o organismo liberar uma grande quantidade de radicais livres – devido por exemplo a exercícios físicos de intensidade exagerada feitos por um longo período, exposição prolongada ao sol, fumar ou consumir muita fritura e alimentos refinados – os danos podem causar envelhecimento precoce, doenças como Parkinson, Alzheimer e outras. Para combater os radicais livres deve-se praticar exercícios físicos de intensidade baixa a moderada, que exigem de 65 a 80% da frequência cardíaca máxima, pois eles fortalecem as defesas internas do organismo. Atividades como caminhada, corrida, natação, ginástica aeróbica, relaxamento, yoga, musculação, ciclismo e esportes na natureza são alguns exemplos. Alguns tratamentos estéticos também ajudam a resolver o problema dos radicais livres, como o Peeling de Vitamina C (realizado na Clínica BYC). Este procedimento pode ser realizado semanalmente e também auxilia a síntese do colágeno, deixando a pele mais firme. Existem ainda no mercado cremes e até protetores solares com componentes antioxidantes. Como o oxigênio é o radical livre mais perigoso, devido a o que ele pode se transformar, é recomendado também consumir alimentos como cebola roxa, alho cru, verduras de folha verde escura e frutas como goiaba, laranja, melancia e uvas vermelhas, que são ricos em antioxidantes.   Fontes: SINHORINI, José Luiz. O que são radicais livres? Disponível em: <http://www.cepe.usp.br/?tips=o-que-sao-radicais-livres>. Acesso em: 02/01/2017. Dieta pode ajudar no combate aos radicais livres. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/dieta-pode-ajudar-no-combate-aos-radicais-livres/